terça-feira, 15 de maio de 2007

Geoffrey Chaucer*

Geoffrey Chaucer, poeta inglês, nasceu em Londres, cerca de 1340, na burguesia da época. O pai era comerciante de vinhos, e julga-se que lhe terá dado uma educação previligiada. O pouco que se sabe da sua vida, conhece-se através de documentos oficiais da corte dos reis Eduardo III e Ricardo II, que registam os seus movimentos e cargos, enquanto membro destas cortes. Em virtude do seu casamento com uma das damas de honra da rainha, ficou em contacto directo com a corte, o que lhe permitiu que realizasse diversas viagens de carácter diplomático pela Europa, entre 1370 e 1378. A arte e literatura italiana marcaram-no profundamente, tendo conhecido, aquando das suas viagens, a obra de Dante, Petrarca e Boccaccio. Após este peródo de viagens, regressou a Inglaterra, onde ocupou diversos cargos oficiais, como o de inspector das alfândegas de Londres. Foi responsável de palácios e parques reais, e residiu ainda em Kent, onde foi parlamentar. Os seus últimos dias foram passados numa casa próxima da abadia de Westminster, onde foi enterrado, ao falecer, em 1400. A sua obra reflecte um período de transiçãao da Idade Média para o Renascimento. As principais obras são: Contos da Cantuária, Tróilo e Criseida, A Cortesia do Amor e O Parlamento das Aves. A sua obra mais conhecida, Contos da Cantuária, retrata a sociedade medieval inglesa. Foi escrita entre 1380 e 1390. Os contos são narrados através de trinta peregrinos de diversos estratos sociais, que se encontram reunidos na pousada do "Tabard de Southwark", onde repousam, a caminho da tumba de Tomas Beckett, em Canterbury. A cada peregrino é proposto que relate um conto aos companheiros, de modo a amenizar a jornada... Considerada a obra-prima de Geoffrey Chaucer, Contos da Cantuária marca o início do domínio do inglês escrito sobre o latim e o anglo-normando, facto que leva a que muitos considerem Chaucer o pai da literatura inglesa. Chaucer é ainda considerado, juntamente com William Shakespeare, um dos poetas mais representativos e brilhantes da literatura britânica. Imagem retirada do artigo da Wikipédia sobre Geoffrey Chaucer, que podem consultar, em inglês (mais completo) ou em português. *A ideia deste post surgiu, após diversos internautas terem vindo parar ao blog, procurando contos de Geoffrey Chaucer.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado