terça-feira, 3 de abril de 2007

rascunho encontrado num caderno abandonado #27

Se algum dia olhares para estas palavras, triste desconhecido, adormecido ainda, talvez, nas profundezas das entranhas de uma qualquer mulher, fixa-as, como a uma lição. Recorda-te sempre que os sonhos existem antes de se realizarem os desejos. É por isso que existe alegria nesta história: porque a felecidade provém de um sonho inesperado, e não de um desejo procurado... A subtileza de um olhar meigo tem mais vida que a crua realidade do tactear de uma doce face. Alcançar o espírito fisicamente, deixando o corpo diluir-se como uma névoa passageira de um amanhecer sem sol, produz uma satisfação maior: só depois de cheio o espírito se podem realmente satisfazer os apetites, sempre vazios, do corpo...
#1, #2, #3, #4, #5, #6, #7, #8, #9, #10, #11, #12, #13, #14, #15, #16, #17, #18, #19, #20, #21, #22, #23, #24, #25, #26,

Sem comentários:

Enviar um comentário

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado