segunda-feira, 19 de março de 2007

rascunho encontrado num caderno abandonado #24

Vou escrevendo - como se vazasse para estas linhas tortas, deste caderno sujo, os meus pensamentos - como se esvaziasse a mente - mas não escrevo nada do que penso: o que escrevo são migalhas de pensamento - pedaços daquilo que não posso, ou não consigo, dizer... Os pés fervem-me, dentro de um par de meias e outro de sapatilhas - suspiram por um par de sandálias... No horizonte, preguiçosamente subindo a montanha, a estrada que vai para a província, e depois para Espanha... Na minha alma, teimosamente, a mesma dor, a dor de sempre... Em dez anos perdi - mais que dez quilos, a vida - nunca mais dormi, perdi o apetite, a vontade de viver; os sonhos e os desejos são despojos que se acumulam na minha alma-lixeira...
#1, #2, #3, #4, #5, #6, #7, #8, #9, #10, #11, #12, #13, #14, #15, #16, #17, #18, #19, #20, #21, #22, #23,

1 comentário:

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado