terça-feira, 27 de março de 2007

dia mundial do teatro

HORATIO - Is it a custom?

HAMLET - Ay, marry, is't. But to my mind, though I am native here And to the manner born, it is a custom More honoured in the breach than the observence. This heavy-headed revel east and west Make us traduced and taxed of other nations. They clepe us drunkards and with swinish phrase Soil our addition; and indeed it takes From our achievements, though performed at height, The pith and marrow of our attribute. So oft it chances in particular men That - for some vicious mole of nature in them, As in their birth, wherein they are not guilty, Since nature cannot choose his origine - By the o'ergrowth of some complexion, Oft breaking down the pales and forts of reason, Or by some habit that too much o'er-leavens The form of plausive manners - that these men, Carrying, I say, the stamp of one defect, Being nature's livery or fortune's star, His virtues else, be they as pure as grace, As infinite as man may undergo, Shall in the general censure take corporation From that particular fault. The dram of evil Doth all the noble substance of a doubt, To his own scandal - Enter the Ghost

HORATIO - Look, my lord, it comes.  

Horácio - Isso é costume?

Hamlet - Ah, pela Virgem que o é! Mas no meu entendimento, embora fosse aqui nado e criado, é um costume que mais honra desrespeitar que praticar. Estas bacanais estúpidas fazem com que as outras nações do Ocidente como do Oriente nos acusem e critiquem. Tratam-nos de bêbedos e sujam o nosso nome com o epíteto de porcos; e, de facto, essa fama basta para empanar o lustro dos nossos feitos, por mais brilhantes que sejam. Assim acontece por vezes a certos homens, que têm algum defeito de nascença de que não são culpados, pois ninguém pode escolher a sua origem ou nasceram com algum gosto estranho que muitas vezes deita por terra a cerca fortificada da razão, nesses um só defeito chega para ofuscar as mais apreciáveis qualidades e de nada lhe servirão essas outras virtudes, por mais puras, e tão grandes quanto o permite a condição humana, pois o conceito geral tudo esquecerá, menos o pequeno defeito. Um só grão de impureza corromperá a mais pura substância com o seu contacto infamante...
Entra o Espectro

 Horácio - Olhe, meu senhor, aí vem ele.  

WILLIAM SHAKESPEARE, In. Hamlet (Tradução livre de Ersílio Cardoso)

2 comentários:

  1. andré, enviei uns emails para a editorial 100 sobre a saída do livro do poeta esloveno brane mozetic e não recebi qualquer resposta. tenho interesse nesse livro e gostaria de saber para quando está agendada a edição. dás-me aí uma ajuda? diz-me coisas. abraço

    ResponderEliminar
  2. Final de Abril ou início de Maio. Abraço

    ResponderEliminar

Deixe o seu comentário. Tentarei responder a todos. Obrigado