segunda-feira, 15 de Setembro de 2014

Liberdade para a Escócia!

Escócia, Scotland

Obviamente troço para que ganhe o SIM. Sou contra todas as formas de colonialismo. Liberdade para os nosso primos Celtas!

terça-feira, 9 de Setembro de 2014

Dentro das minhas Cidades/ Já não sei quem é Ladrão/ Se o que anda fora de Grades,/ Se outro que está na Prisão.



Etelvina com seis meses já se punha de pé
Foi deixada num cinema depois da matinée
Com um recado na lapela que dizia assim:
''Quem tomar conta de mim,
quem tomar conta de mim
Saiba que fui vacinada,
Saiba que sou malcriada.''

Etelvina com dezasseis anos já conhecia
Todos os reformatórios da terra onde vivia
Entregaram-na a uma velha que ralhava assim:
''Ai menina sem juízo
nem mereces um sorriso
Vais acabar num bueiro
sem futuro nem dinheiro.''

segunda-feira, 8 de Setembro de 2014

O Conto do Marinheiro* - Geoffrey Chaucer

Boys Playing on the Shore, Albert Edelfelt
Boys Playing on the Shore
Quadro de Albert Edelfelt

Em tempos havia um Mercador, em São Dinis,
Que por ser rico o julgavam sábio. 
Tinha uma esposa de beleza invulgar, 
Era alegre e gostava de confraternizar, 
Coisa essa que causa mais despesas 
Do que valem todos os cumprimentos afectados 
Que os homens fazem em festas e bailes. 
Tais reverências e composturas festivas 
São passageiras como uma sombra na parede. 
Mas infeliz daquele que por tudo tem de pagar! 
O tolo do marido sempre tem de pagar, 
Ele tem de vestir-nos, ele tem de enfeitar 
Os nossos corpos para a sua reputação enaltecer, 
Enquanto dançamos com toda a ostentação. 
E, se não puder pagar, como por vezes sucede, 
Ou não se submeta a tais extravagâncias 
Por pensar no seu dinheiro desperdiçado, 
Então outra pessoa terá de suportar a despesa 
Ou emprestar-nos dinheiro, o que é perigoso.

Geoffrey Chaucer, In. Contos da Cantuária